O que você procura?

Notícias

Escrito em 25/05/2022 por Fúlvio Costa

“Não estamos sozinhos”. Arquidiocese de Goiânia celebra a sua Padroeira Nossa Senhora Auxiliadora

Imagem Homilias

Na manhã desta terça-feira, 24 de maio, Dia de Nossa Senhora Auxiliadora, Padroeira da Catedral, da cidade e da Arquidiocese de Goiânia, Dom João Justino, arcebispo metropolitano presidiu pela primeira vez em seu ministério episcopal nesta Igreja Particular, a Festa da Padroeira. Foi uma manhã de bênçãos que contou com a participação do povo de Deus de várias paróquias. Os padres da Arquidiocese concelebraram com o arcebispo, juntamente com quatro bispos do nosso Regional Centro-Oeste da CNBB: Dom Levi Bonatto, bispo auxiliar de Goiânia; Dom Washington Cruz, arcebispo emérito de Goiânia; Dom José Silva Chaves, bispo emérito de Uruaçu; e Dom Francisco Agamenilton, bispo de Rubiataba-Mozarlândia. Várias autoridades da sociedade civil também participaram da celebração.

Dom João chamou a atenção dos presentes e de todos aqueles que acompanharam a Santa Missa pela PUC TV, para o motivo que reuniu a todos na Catedral. “Juntos aqui estamos para agradecer as inúmeras vezes que Maria veio em nosso auxílio, em nossas lutas, nossas dificuldades, fracassos e quedas, nossas enfermidades e incertezas”. 

O dia 24 de maio, que muitos chamam de feriado, conforme Dom João, é uma data muito especial para todo o povo católico porque é o dia de “dedicar e festejar esse motivo tão especial no reconhecimento de que a Mãe de Deus é a nossa auxiliadora nas estradas desta vida rumo ao Reino dos Céus”. O arcebispo destacou que ao contemplar na fé o Ressuscitado, todos nos colocamos no lugar do discípulo amado para escutar as palavras de Jesus: “Eis aí a tua mãe, eis o auxílio dos cristãos, eis aí o auxílio dos discípulos do Senhor Jesus”.

Dom João foi enfático em dizer que “não estamos sozinhos”, porque estamos “acompanhados por aquela que nos orienta a escutar a palavra do seu Filho Jesus”. O mal, portanto, jamais prevalecerá. “Não estamos expostos ao mal, estamos protegidos por aquela que enrolou em faixas o recém-nascido e o deitou na manjedoura, não estamos perdidos, estamos sob os cuidados daquela que procurou o seu filho no meio da multidão em Jerusalém até encontrá-lo entre os doutores da lei, não estamos abandonados aos sofrimentos, contamos com a presença materna e solidária daquela que estava ao pé da cruz do seu filho”. 

O papel de Maria é nos levar a Jesus e esse caminho ela nos orienta pela escuta da palavra de Deus. Nas palavras do papa Francisco, pela sua Exortação Evangelii Gaudium, Dom João expressou quem é Maria. “Maria é aquela que sabe transformar um curral de animais na casa de Jesus, pobres paninhos numa montanha de ternura. Ela é a serva humilde do Pai que transborda de alegria no louvor, ela é a amiga sempre solícita para que não falte o vinho em nossa vida, é aquela que tem o coração transpassado pela espada que compreende todas as penas, é sinal de esperança para todos que sofrem as dores do parto até que chegue a justiça”.

Mãe em todas as horas
Ao fim da sua homilia, Dom João animou a todos dizendo que Nossa Senhora é Mãe em todas as horas, sobretudo nos momentos difíceis das nossas vidas, por isso ela é Auxiliadora. O arcebispo rezou pedindo a ela que auxilie àqueles que mais sofrem. “Há mães e pais assustados com a gravidez e tentados ao aborto, vinde encorajá-los a acolher o presente da vida para viverem em alegria singular de embalarem o recém-nascido a quem poderão chamar de meu filho, minha filha. Mãe Auxiliadora há tantos jovens sem saber que rumo dar à vida perdidos em meio a oferta de drogas e sexo fácil, vinde convocá-los para um novo percurso de vida, libertos da escravidão do prazer desenfreado e atentos às oportunidades de recomeço. Mãe Auxiliadora há tantos que se enveredaram pelos caminhos da corrupção e roubam dos mais precisados, vinde tocá-los para que se envergonhem do malfeito às pessoas e à sociedade e tenham a coragem de devolver o que roubaram. Mãe Auxiliadora, há pessoas que depositam a sua confiança na violência e nas armas, guerreiam e matam, vinde apresentá-los o seu Filho, o príncipe da paz e faz-nos acreditar na bem-aventurança da promoção da paz pelo qual o vosso Filho prometeu seremos chamados filhos de Deus”.

Atendimento

(62) 3223-4581 / 3225-0339